PUBLICIDADE
Janaina Paschoal sai do grupo de WhatsApp do PSL e ameaça deixar bancada
20/05/2019 16:47 em Política

Deputada disse que parlamentares do partido estão "cegos" e questiona a sanidade do presidente Jair Bolsonaro

 

 

Estado de Minas/Site Estado de Minas

Postado em 20/05/2019 15:48 / Atualizado em 20/05/2019 16:09

A imagem da capa do site Multisom foi retirada de arquivos da internet/Google

 

 

A deputada estadual em São Paulo Janaina Paschoal (PSL) está fora do grupo de Whatsapp do seu partido, o mesmo do presidente Jair Bolsonaro, e ameaça deixar a bancada da legenda na Assembleia Legislativa do estado. 

 

 

Em conversa com os colegas de partido, ela demonstrou insatisfação com posicionamentos do presidente Jair Bolsonaro, principalmente a publicação de um vídeo em que ele aparece como “enviado de Deus”, segundo a mensagem do pastor francês Steve Kunda. A conversa foi divulgada pelo site da rádio Jovem Pan.

 

 

No grupo, Janaina questionou a sanidade de Bolsonaro após a publicação do conteúdo de caráter messiânico. “Eu peço que vocês assistam e respondam: ‘O senhor, um presidente da República, na plenitude de suas faculdades mentais, publicaria um vídeo desse?’”, afirmou na mensagem.

 

 

A deputada. que teve a maior votação da história do país na última eleição, foi uma das responsáveis pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

 

 

Ainda em tom de desabafo, pouco antes de sair do grupo, Janaina disse que os colegas de partido “estão cegos” e “presos na bolha”. Complementa dizendo que deixará a bancada. “Estou saindo do grupo, vou ver como faço para sair da bancada. Acho que os ajudei na eleição, mas preciso pensar no país. Isso tudo é responsabilidade”.

 

 

Apesar da atitude, Janaina Paschoal disse que o gesto não significa rompimento com o Bolsonaro, mas, ao contrário, é uma tentativa de “salvar o governo”.

 

 

Nesta segunda-feira, a deputada tem feito de seu Twitter uma plataforma para criticar a condução do governo Bolsonaro.  Voltou a apresentar motivos pelos quais não defende a manifestação marcada para o próximo domingo, 26, em apoio ao governo.

 

 

“O governo se colocou na situação em que está”, tuitou Janaina, nomeando a situação de “imobilismo”. “E chama as pessoas para tirá-lo do imobilismo. Por quê?”. Na sequência de publicações, a deputada relembrou episódios que, na sua visão, seriam erros cometidos pelo governo e que ajudaram a compor o quadro atual.

 

 

Janaina citou o apoio do PSL a Rodrigo Maia (DEM-RJ) para a presidência da Câmara Federal. Na ocasião, ela diz ter apoiado “candidatos mais identificados com os ideais pelos quais lutamos” e disse que o governo iria se “arrepender amargamente” pelo apoio dado a Maia.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE